burburinho

as consolaes da filosofia

livros por Dauro Veras

Este livro de Alain de Botton sugere que a filosofia pode oferecer consolao para muitas mazelas humanas. A partir das idias de seis filsofos - Scrates, Epicuro, Sneca, Montaigne, Schopenhauer e Nietzsche - ele apresenta exemplos de consolao para a impopularidade, no ter dinheiro suficiente, frustrao, inadequao, corao partido e dificuldades.

O estilo bem-humorado, s vezes confessional, com captulos curtos e muitas ilustraes. Ao combinar uma introduo filosofia com uma pardia de manual de auto-ajuda, o autor garante momentos de leitura instrutiva e divertida. Em Consolao para a impopularidade, a vida e a morte de Scrates so apresentadas como um convite ao ceticismo inteligente. O mtodo socrtico de raciocnio coloca prova o senso comum e estimula o desenvolvimento de opinies autnomas. Sob determinadas circunstncias, advogava o filsofo grego, preciso ter fora para no levar a srio as opinies alheias.

Epicuro e sua filosofia da busca de felicidade pelo prazer so um alento para quem tem pouco dinheiro. Segundo o epicurismo, a felicidade relativamente independente dos bens materiais. Os ingredientes essenciais para uma vida agradvel so a amizade, a liberdade e a reflexo serena sobre as principais fontes de ansiedade - morte, doena, fome, superstio.

Consolao para a frustrao aborda a vida de Sneca, cuja obra permeada por uma nica tese: a de que suportamos melhor as frustraes para as quais nos preparamos e somos atingidos principalmente por aquelas que menos esperamos. O filsofo romano props que se tenha sempre em mente a possibilidade de uma tragdia e que no se deve surpreender com nada: "O que no pode ser modificado precisa ser suportado".

As idias de Michel de Montaigne servem de conforto para quem sente inadequao sexual, cultural ou intelectual. O escritor francs alimentava reservas quanto erudio livresca, questionava a racionalidade humana e defendia o dilogo franco sobre as atividades genitais. Em Ensaios, comentou o comportamento de seu pnis e intestinos, considerados partes essenciais de sua identidade. Montaigne passou dezessete meses percorrendo a Europa a cavalo, o que o ajudou a comparar diferentes conceitos de normalidade. O leitor convidado por ele a substituir os preconceitos locais pela identidade de cidado do mundo.

As atribulaes amorosas so tratadas em Consolao para um corao partido a partir dos escritos de Schopenhauer. O filsofo alemo afirmava que os atos humanos so governados pela "vontade de viver", um impulso inerente a permanecer vivo e reproduzir. O amor nada mais seria que a manifestao da descoberta do pai ou me ideal para uma prole inteligente e bonita. Assim, o consolo para a rejeio amorosa saber que esta foi conseqncia de uma lei da natureza.

Consolao para as dificuldades resgata as idias de Friedrich Nietzsche, para quem impossvel atingir uma vida plena sem passar por grandes perodos de dificuldade. Nietzsche utilizava uma analogia com a jardinagem para ressaltar a importncia da valorizao dos elementos negativos da vida humana: "Se fssemos ao menos terrenos frteis, no permitiramos que nada se tornasse intil e veramos em cada acontecimento, em cada coisa e em cada homem um adubo bem-vindo".

Alain de Botton nasceu na Sua e se formou em filosofia na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Seu romance de estria, Ensaios de amor, foi escrito aos 21 anos e suas obras foram traduzidas para vinte lnguas. Atualmente vive em Washington DC e Londres, onde diretor do Programa de Graduao em Filosofia da Universidade de Londres. A Editora Rocco, alm de As Consolaes da Filosofia, publicou Ensaios de amor, Como Proust pode mudar sua vida, O movimento romntico e Nos mnimos detalhes.


pensamentos despenteados para dias de vendaval
Copyright © 2001-2005 Nemo Nox. Todos os direitos reservados.